Blunt: o que é e como preparar

São diversas as formas de uso da maconha e, quando o consumo é feito pelo fumo, a blunt vem ganhando cada vez mais o coração da galera.

Além de deixar cigarro de maconha com um visual elegante, próximo a um charuto, a blunt pode ser encontrada com facilidade em tabacarias e tem diversas opções de sabores.

Muito comum nos vídeos estadunidenses e a preferida de rappers como Snoop Dogg, a blunt possui coloração marrom e surgiu entre os jamaicanos residentes em Nova Iorque por volta de 1980.

Venha descobrir mais sobre a queridinha dos gringos!

O que é a Blunt

A blunt nada mais é do que a maconha bolada em uma folha de tabaco e o nome vem da empresa Phillies Blunt, que comercializava cigarros em tamanhos diferenciados!

Hoje, ela é comumente encontrada em tabacarias e a sua venda é totalmente legal, podendo aparecer em diversos sabores como melancia, blueberry, piña colada, baunilha, morango, chocolate e outros.

Porém, os valores não são lá dos mais baratos e, por isso, a forma mais comum de se utilizá-la é desfazendo charutos para reaproveitar a folha que envolve o tabaco.

Pazes com a maconha: por que tantos países estão legalizando?

A combustão da Blunt

A combustão lenta desse tipo de seda é o que mais chama a atenção dos usuários.

Poder desfrutar do beck por mais tempo é um grande diferencial!

Blunt x Seda

Em comparação com a seda, a blunt possui inúmeras diferenças e a grande maioria é bem vantajosa! 

Como já falamos ali em cima, a combustão lenta é o diferencial número um e, por isso, merece um tópico só para ela.

Mas as vantagens vão além!

Ela costuma ter dimensões bem maiores, o que significa que, em um único cigarro, é possível ter muito mais maconha.

Para guardar bem essa quantidade de maconha a ser usada na blunt, você pode utilizar potes como os da nossa loja!

Além disso, ela garante tragadas muito mais fortes e intensas, o que pode ser ótimo para quem curte apreciar algo mais acentuado.

Cannabis e coronavírus

Para os que gostam de algo diferenciado, a diversidade de sabores também oferece uma característica bem singular quando comparada à seda comum.

Apesar disso tudo, a blunt tem algumas desvantagens quando comparada à seda.

Como o material é a folha de tabaco pura, as suas fibras são mais grossas e, portanto, a folha fica mais espessa.

Se, por um lado, isso permite uma queima mais duradoura, por outro, é bem mais difícil de bolar e, por isso, não é a melhor alternativa para iniciantes.

Além disso, considerando que o tabaco possui nicotina, mesmo que em pequenas quantidades a depender da folha, uma desvantagem da blunt é a maior chance de se viciar no fumo.

É por isso que o consumo consciente e cuidadoso deve ser sempre prezado, seja com blunt, seja com seda.

No nosso blog, você pode entender mais sobre como a maconha atua no organismo.

Como preparar uma Blunt

O preparo é bastante similar ao de enrolar um baseado na seda, porém, um pouco mais difícil.

Por não possuir uma fita de cola ao final, é necessário uma certa habilidade para juntar as extremidades da folha, além de que, normalmente, a blunt costuma ter grandes quantidades de maconha, dificultando um pouco mais o processo.

Por ser um cigarro mais natural, bolado em folhas, muitas vezes ele pode se desfazer caso o manuseador não tenha o devido cuidado.

Por isso, para preparar uma blunt, aí vão algumas dicas: bole com calma e paciência.

O mercado legalizado de maconha no Brasil existe?

A folha de tabaco, como citamos acima, pode ser conseguida a partir de charutos ou direto em tabacarias, encontrada já desidratada e pronta para o preparo.

Um ponto bem interessante e que alguns usuários da blunt fazem é levar o cigarro ao microondas depois de pronto, para que a folha termine de secar e mantenha o formato e melhore a combustão.

E aí, pronto para preparar a sua blunt?
Se você curtiu esse post, faça parte do nosso grupo de entusiastas do mundo canábico, o #usuáriolivre!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.