O mercado legalizado de maconha no Brasil existe?

Por mais que não pareça, há um mercado legalizado de maconha no Brasil. 

Formado pelos pacientes, médicos, produtores e importadores dos medicamentos com CBD, THC ou a mistura desses dois canabinóides. 

A amplificação da informação e a possibilidade de adquirir medicamentos que muitos pacientes garantiram na Justiça nos últimos anos, fez com que mais pacientes fossem atrás desse tipo de tratamento. 

Confira mais informações sobre o mercado legalizado de maconha no Brasil, o perfil das pessoas que têm acesso a esses medicamentos e o que é necessário para importar produtos canábicos a seguir. 

O mercado legalizado de maconha no Brasil existe?

O mercado legalizado de maconha no Brasil não só existe, como já movimenta cerca de R$130 milhões de reais por ano no país. 

De onde vem esse dinheiro? 

De médicos, importadoras, consultorias, sites especializados e fundos de investimento que investem nos produtos medicinais à base de Cannabis. 

Isso mesmo, a Cannabis ainda não é legalizada no Brasil, mas a Anvisa já autorizou a comercialização de diversos medicamentos canábicos. 

A lista completa você encontra aqui. 

Ainda que farmácias e drogarias possam comercializar esses produtos, o mercado legalizado de maconha ainda gira em torno da importação direta de outros países. 

Nos últimos cinco anos, o número de pacientes importando medicamentos à base de Cannabis cresceu 15 vezes. 

Por mais que isso movimente a economia através das consultas, serviços de importação e outros serviços, a maior parte do dinheiro da venda dos medicamentos não fica no Brasil. 

Por dentro de uma plantação de maconha: caso Fundação Daya, no Chile

Preços altos e dificuldade de importação ainda dificultam o tratamento 

Isso acontece pois a importação dos medicamentos ainda é um processo caro, já que os valores dos produtos dependem da variação de moedas estrangeiras. 

Além disso, é acrescido ao valor total os custos da importação em si, como fretes, taxas alfandegárias e encargos dependendo da forma de importação. 

O processo ainda é burocrático e com informações pouco divulgadas, o que dificulta o acesso para uma grande parcela da população. 

Isso faz com que muitos pacientes ou parentes de pacientes façam o autocultivo de forma ilegal ou busquem autorização de cultivo com a Justiça. 

Habeas Corpus Comunitário: o que é e como funciona

Como se medicar através do mercado legalizado de maconha no Brasil?

Como já explicamos, o mercado legalizado de maconha ocorre através da importação de produtos à base de Cannabis, que podem ser receitados para qualquer condição em que o canabidiol seja considerado potencialmente benéfico para o paciente. 

A Anvisa não exige mais que seja comprovado que outras alternativas de tratamento já tenham sido testadas sem sucesso. 

Como já explicamos neste post em que apontamos os efeitos colaterais e diferenciamos CBD e THC, esses dois canabinóides possuem ações e tratam doenças diferentes.

O CBD (canabidiol), composto mais utilizado nos medicamentos, pode ser usado para tratar epilepsia refratária, ansiedade, dores neuropáticas e doenças neurodegenerativas, como esclerose múltipla, o Parkinson e o Alzheimer. 

Ele também induz efeitos semelhantes aos antidepressivos, podendo ser usado no tratamento de doenças mentais. 

Maconha: mitos e verdades sobre a planta

Já o THC (tetrahidrocanabinol) pode tratar anorexia, espasticidade, glaucoma, asma, doenças autoimunes e inflamatórias, além de proporcionar alívio para o estresse e tratar a depressão. 

Os medicamentos com THC também podem ser usados para reduzir sintomas de outros tratamentos que possuem efeitos adversos, como a quimioterapia, já que ele reduz dores, vômitos e náuseas. 

As fases para importar medicamentos à base de Cannabis são: consulta médica, solicitação junto à Anvisa e compra e entrega do medicamento. 

Explicamos o passo a passo dessa importação aqui e divulgamos informações essenciais de como encontrar um médico prescritor de Cannabis no Brasil aqui

Com essas informações, é possível comprar medicamentos através do mercado legalizado de maconha no Brasil e ter acesso a um tratamento de qualidade, sendo essa a única opção para milhões de brasileiros.

Deixar uma resposta