Entenda como o mercado canábico pode chegar a impulsionar até R$14,4 bilhões só no Brasil

Que os países que legalizaram a cannabis, tanto para uso medicinal como para uso social, estão se beneficiando dessa mudança, todo mundo já sabe. Estados Unidos, Canadá, Uruguai e diversos outros países movimentam o mercado canábico e potencializam vários setores da economia. 

Um levantamento feito pela Kaya Mind, empresa brasileira de inteligência sobre o mercado canábico, estima que o mercado brasileiro de cannabis medicinal pode chegar a R$14,4 bilhões quatro anos após a liberação do plantio. 

Para se ter uma noção do valor, o mercado global de cannabis legal é estimado em R$55,3 bilhões até 2024. Se o Brasil se juntasse a outros países latino americanos, incluindo o uso social, o retorno para o país seria enorme. 

Para entender mais como o mercado canábico do Brasil pode transformar a economia do país e trazer benefícios não só para a economia, mas para diversos setores, continue acompanhando o texto. 

Por que o Brasil se beneficiaria tanto da legalização?

Primeiramente, o mercado brasileiro tem seu ecossistema de cadeia produtiva em pleno desenvolvimento. Isso significa que há centenas de empreendedores com iniciativas em andamento, inclusive dentro do mercado canábico. 

A criminalização não impede que essas empresas surjam, mas sem os avanços na regulamentação deixam o Brasil atrasado globalmente. Ou seja, ela só retarda os avanços científicos e impede que o país se beneficie dos investimentos e das melhorias que esse mercado pode gerar. 

pote-vidro-kunk-club-especial

E não estamos falando apenas do uso medicinal, que pode melhorar o tratamento de muitas doenças e salvar milhares de vidas. Diversas indústrias podem usar a cannabis para melhorar seus produtos. É possível fazer tecido a partir da fibra de cânhamo, gerar biomassa e biocombustível de cânhamo e até criar um tipo de plástico reciclável a partir da planta. 

Alguns setores podem se beneficiar da legalização e do incentivo ao mercado canábico ainda mais. Veremos alguns deles a seguir. 

Impacto do mercado canábico em outros setores

Médico e farmacêutico

A Anvisa já autorizou tratamentos e a importação de alguns medicamentos à base de cannabis, que podem ser adquiridos com uma receita médica de controle especial. Apesar de ser um avanço, essa medida só permite a importação, fazendo com que os tratamentos se tornem caros e restringe o acesso aos tratamentos. 

Isso gerou uma movimentação entre R$21,9 milhões e R$49,9 milhões só em 2020. Só que esse dinheiro foi todo para países estrangeiros. Os brasileiros só vão conseguir aproveitar todos os benefícios com a legalização e a descriminalização. 

Uso social e auto cultivo 

Se o mercado canábico medicinal explora seus benefícios à saúde, outros mercados giram em torno do uso social, adulto ou recreativo. As grow shops, lojas especializadas em artigos de jardinagem para o auto cultivo, e as head shops, lojas que vendem produtos de consumo e lifestyle canábico, como a loja da Kunk.Club, são algumas das possibilidades de se investir no mercado canábico brasileiro hoje. 

Turismo e gastronomia

Há países que não só descriminalizaram o uso da planta, mas que incentivam toda uma cultura e lifestyle canábico, o que impacta diretamente no turismo. Os principais destinos dos brasileiros são Estados Unidos (Califórnia), Canadá, Holanda (Amsterdã) e Uruguai. 

clube-social-de-cannabis-kunk

Esses países oferecem experiências canábicas completas, que vão desde a degustação de uma variedade de espécies de erva, até gastronomia, museus, coffee shops, grow shops, farmácias e marcos históricos ligados à cultura canábica. 

Já falamos sobre diversas formas de hempreender, ou seja, empreender dentro do mercado canábico. Algumas já são possíveis hoje, mas a criminalização ainda atrasa muitos setores. 

O Brasil é um dos países com mais atraso na regulamentação e que pode se beneficiar bastante de uma legislação mais abrangente e com segurança jurídica para fazer o mercado evoluir.

Deixar uma resposta