Influenciador 420: saiba como ajudar o mercado canábico

A maconha é responsável por uma das indústrias de crescimento mais rápido nos últimos anos, devido à expansão generalizada da maconha medicinal principalmente com a entrada dos EUA. 

Mas o uso da maconha recreativa, que preferimos chamar de social, se tornou cada vez mais marginalizada em nosso país. Isso dificulta a divulgação de empresas que trabalham com cannabis e é aí que entra o influenciador 420. 

Esses influenciadores ajudam marcas a chegar aos consumidores de forma orgânica. Quer saber mais sobre o influenciador 420 e como se tornar um? Acompanhe o post até o final. 

Cenário canábico no Brasil

Segundo a Lei 11.343/06, vigente no Brasil, a maconha ainda é ilegal. O que ninguém fala é que, apesar de ainda ser um crime, não tem pena de prisão para o uso e cultivo pessoal (Art. 28 da lei).

Diante desse cenário, a grande maioria de vocês deve saber que anúncios e promoções de maconha pelo Facebook e Google são proibidos. O Instagram, uma subsidiária do Facebook, vem banindo contas canábicas assim como todas as promoções de drogas e produtos relacionados. 

O Google, dono do YouTube, proíbe estritamente anúncios digitais que promovam drogas ou qualquer produto remotamente relacionado a substâncias ilícitas em qualquer lugar de suas vastas redes de anúncios. Lembrando que anúncios de drogas são proibidos mesmo em locais onde a droga é legal.

E como deve ser do seu conhecimento, o Facebook e o Google dominam o espaço de publicidade online. Publicidade em rádio, outdoors e televisão são outras opções proibidas; cada um desses métodos mais tradicionais de publicidade tem seu próprio conjunto complexo de regras que variam de acordo com a localização geográfica.

Isso cria um paradoxo: porque a grande maioria dos produtos que comercializamos tem haver com o estilo de vida em volta da maconha e não com a venda da maconha em si? E sabemos que as vendas de cannabis estão crescendo, mesmo com as leis dificultando sua propaganda. 

Essas políticas exigem que os anunciantes de maconha usem meios alternativos para anunciar, como podcasts, mídia impressa, marketing experimental, aplicativos móveis e, claro, o influenciador 420.

O que é um influenciador 420?

Aqui está a grande oportunidade de alcançar consumidores por meio de influenciadores de cannabis. Principalmente o pequeno influenciador 420. Por causa da nossa grandeza geográfica é muito importante termos iniciativas locais para atingir os objetivos com mais precisão. 

O conteúdo gerado ou replicado pelo influenciador 420 revela onde os clientes estão mais engajados, para que as marcas possam nutrir relacionamentos com os clientes em um nível altamente pessoal e ao mesmo tempo em que constroem o conhecimento da marca.

notícias-blog-kunk

Há uma lista cada vez maior de produtos e serviços de cannabis no mercado brasileiro. Para citar apenas alguns dos nossos parceiros: Papelito, com venda de sedas e piteiras; Master Plants, com vendas de estufas e iluminação; Yes We Grow, com venda de solos e nutrientes; The Bud Bag, com venda de vasos; entre outros.

Sendo assim, queremos montar um grupo de pequenos influenciadores do mercado canábico para apresentar um caminho para as marcas se conectarem com os possíveis consumidores de seus produtos. 

Por que estamos fazendo isso?

Um fato bem conhecido por aqueles que atuam na indústria da maconha é que o Instagram pode e irá encerrar contas que apresentam conteúdo de maconha. 

Isso força os criadores de cannabis e as empresas a abrirem novas contas e perderem o número de seguidores existentes. É o que chamamos de estratégia de contingência. Quantos de vocês não conhecem quem tem uma conta back up?

O pior é que essas desativações acontecem sem aviso prévio e são aplicadas de forma inconsistente a marcas de maconha no varejo, influenciadores de maconha e empresas de mídia centradas na cannabis. Nem mesmo a galera do CBD e do medicinal está livre disso. 

Marcas e influenciadores podem apelar para a reativação da conta, mas o processo é árduo e não há garantias. A comunidade da cannabis no Brasil tem reclamado das políticas estritas – mas muitas vezes inconsistentes – do Instagram, em particular. 

usuário-livre-pride

O Instagram ainda não definiu regras específicas para orientar influenciadores e marcas sobre o que é ou não permitido no conteúdo de cannabis. A rede social está aplicando suas regras arbitrariamente ou está baseando suas decisões em relatórios de usuários, o que significa que qualquer um poderia relatar a conta de seu concorrente para que fosse encerrada.

A grande questão aqui é: Como as marcas de cannabis evitam que suas contas sejam excluídas do Instagram e de outros canais sociais? Ainda assim, muitos influenciadores estão dispostos a fazer parceria com marcas de cannabis. 

Como acontece com qualquer parceria de influenciadores, a melhor aposta é escolher influenciadores que genuinamente usam produtos de cannabis e têm públicos engajados que serão receptivos ao marketing de cannabis. 

Como se tornar um influenciador 420?

Então, se você realmente se interessa em se tornar um influenciador 420 e participar dessa revolução que queremos criar no mercado canábico brasileiro em 2022, assista esse vídeo:

Lembrando que as vagas para se tornar um influenciador 420 vão até o limite de pessoas determinado pelo WhatsApp. Depois de lotar, há uma fila de espera para o caso de alguém desistir.

Deixar uma resposta