Por que a indústria de Cannabis no Brasil não decola?

Impulsionada pelo uso medicinal, a indústria de Cannabis sai da clandestinidade para se transformar em uma indústria vibrante e potente. Diversos países, muitos deles na América do Sul, já tomaram os primeiros passos e já coletam os ganhos com a legalização. 

O Brasil, no entanto, ainda caminha a passos lentos, com uma legislação travada por desinformação e preconceito. Entenda como a indústria de Cannabis está caminhando no Brasil e em outros países sul americanos e o que falta para alcançarmos o mesmo patamar. 

Como funciona a indústria de Cannabis no Brasil?

Os grandes entraves para que a indústria de Cannabis no Brasil avance são a desinformação e o preconceito. Milhares de pacientes e familiares lutaram – e ainda lutam – na Justiça para ter direito aos medicamentos ou a chance de realizar o auto cultivo para terem acesso ao tratamento. É possível importar CBD e a lista de produtos à base de Cannabis liberada pela Anvisa cresce lentamente. 

Porém, em um país tão desigual como o Brasil, essa possibilidade é restrita a uma pequena parte da população. Estima-se que 4 milhões de brasileiros possam se beneficiar de medicamentos canábicos e o mercado medicinal já está na casa dos 62,7 bilhões de dólares. 

Growshop: passo a passo para montar uma

E isso é só a indústria de Cannabis medicinal. Podemos faturar com turismo canábico, lazer, mercado pet, cânhamo industrial e outras diversas possibilidades que o mercado permite. Apesar do perfil promissor, empresas brasileiras ainda esbarram em questões regulatórias, o que coloca o mercado de Cannabis brasileiro atrás de outros países. 

Dessa forma, brasileiros que utilizam a Cannabis de forma legal precisam buscar no mercado internacional ou pagar a mais pelos serviços oferecidos por empresas brasileiras. E o que faz também com que muitas das startups que trabalham com cannabis e nascem no Brasil acabem operando em outro país. 

Como outros países da América do Sul estão tratando o tema?

O país pioneiro na liberação de Cannabis na América do Sul foi o Uruguai, em 2013, quando regulamentou a produção, comercialização e consumo da planta. Hoje o país possui uma das culturas canábicas mais desenvolvidas do mundo e, desde 2019, exporta flores, sementes, medicamentos e outros produtos para diversos países. 

Mas o destaque maior vai para o Paraguai, país pioneiro na exportação de cânhamo industrial na entre os países sul americanos. Já exportaram mais de 20 toneladas de sementes para a Holanda e mais uma tonelada para a Inglaterra. Também firmaram um acordo para exportação de mais de 160 toneladas de óleo, proteínas e outros derivados do cânhamo para Estados Unidos, Austrália e Canadá. 

Canabinóides e doenças neurológicas

A Colômbia também atua com foco na exportação e tem mais de 500 milhões de dólares investidos na indústria de Cannabis. Os colombianos anunciaram a ampliação do negócio e a expectativa é que o mercado possa gerar 2,5 bilhões de dólares de receita e 45 mil empregos até 2030. Um belo jeito de gerar renda e oportunidades depois de uma crise, né? 

Na Argentina, o projeto de marco regulatório para indústria de Cannabis medicinal e do cânhamo industrial já está em processo de votação. O Chile também tem produção de cânhamo em andamento. 

O que falta para alcançarmos esse patamar?

Todos esses acontecimentos em países sul americanos não aconteceram por acaso, nem de uma hora para outra. Tudo isso é fruto de planejamento, parcerias público-privadas e políticas públicas voltadas para o desenvolvimento de um novo mercado. 

Por aqui, Projetos de Lei são travados e as discussões andam a passos lentos, principalmente por questões ideológicas. A Anvisa liberou a importação de medicamentos à base de Cannabis, mas isso só favorece outros países, já que o  dinheiro gasto e a coleta de impostos não voltam para trazer benefícios ao nosso país. 

Hempreender é uma questão de atitude!

Sem contar os 4 milhões de brasileiros que podem se beneficiar dos medicamentos à base de Cannabis. Por mais que a importação já tenha sido liberada, o valor alto dos produtos e o excesso de burocracia para importar impedem que grande parte dos pacientes tenham acesso aos medicamentos. 

Ainda assim, muitos empreendedores estão investindo na indústria de Cannabis no Brasil e revolucionando esse mercado. Conheça mais sobre o Hempreendedorismo e o passo a passo para montar o seu negócio lucrativo e legalizado no mercado canábico brasileiro através da nossa Escola do Hempreendedorismo.

Deixar uma resposta