História da maconha: origem, tabus e avanços

A história da maconha é longa, começando há milênios atrás. Nesse tempo, ela já foi usada como medicamento, como diversão, em rituais religiosos e na indústria. Confira a seguir a origem da planta, os tabus que levaram a sua proibição e outros detalhes da história da maconha no mundo. 

A história da maconha começa em 27.000 a.C. (que a gente saiba!)

A história da maconha começa, oficialmente, em 27.000 a.C.m que é quando temos o primeiro registro da planta. Entre os cientistas, predomina a ideia de que o cânhamo foi domesticado em grandes áreas da Ásia há milênios. A Cannabis teve origem no Afeganistão e também era usada na Índia em rituais religiosos ou no tratamento de doenças. 

Assim como hoje, havia diferentes usos para a Cannabis. Há referências na história da maconha de uso das sementes como alimento, para obtenção de óleo e como fibra, para confeccionar tecidos. Há indícios de que a Cannabis era usada para rituais, mas não há evidências de que os antigos habitantes fumavam. 

Como escolher a genética da planta no plantio de Cannabis

Quando a maconha começou a ser fumada ou usada como psicoativo?

A civilização humana já fumava Cannabis há cerca de 2.500 anos, de acordo com um estudo publicado pela revista americana Science Advances. Pesquisadores encontraram vestígios da planta queimada em cachimbos desenterrados em um cemitério em Jirzankal, no extremo oeste da China. 

Após análises, descobriram que o material presente nos cachimbos era o canabinol (CBN), produto da decomposição do THC. Assim, esse é o registro mais antigo do uso de Cannabis por meio do fumo e, muito provavelmente, com fins psicoativos. 

Mas foi no final do século XIX, durante a Belle Époque, que a maconha virou moda entre artistas e escritores franceses. O clima intelectual e artístico do período foi perfeito para difundir os efeitos psicoativos da planta, muito usada como combustível criativo. 

Existe crime de apologia às drogas?

O que aconteceu na história da maconha para que ela se tornasse tão repudiada?

Se há tanto tempo a Cannabis era usada como medicamento, insumo para a indústria e usada para rituais religiosos, como a história da maconha deu essa guinada e tornou uma das drogas mais proibidas do mundo? Até o século XX, a maconha ainda era uma droga lícita e economicamente ativa. 

Colonizadores, senhores de engenho e a elite europeia já estavam habituados com o cultivo e uso da erva, inclusive incentivavam a plantação e o consumo. Porém, com a industrialização e urbanização, os moradores dos meios urbanos passaram a utilizar a Cannabis, principalmente os ex-escravos, mestiços, indígenas e imigrantes rurais. 

Apesar de ser usada como matéria-prima para fibra têxtil, principalmente pela elite, a imagem ficou marcada e associada aos pobres, negros e indígenas. Com o tempo, essa população começou a ser vista como um problema sanitário e grupos higienistas e médicos passaram a estudar formas de controlar a população através de instituições específicas, como as delegacias e as inspetoras de entorpecentes. Essas instituições também eram usadas para reprimir práticas religiosas africanas ou indígenas, consideradas feitiçarias ou magia negra. 

Em 1924, em uma reunião da Liga das Nações, antecessora da ONU, governantes se reuniam para conversar sobre o ópio. Reza a lenda que um brasileiro aproveitou o momento para fazer um discurso sobre a maconha, afirmando que a droga matava mais que o ópio. Assim, ela entrou oficialmente para a lista de substâncias passíveis de punição. 

Política de drogas: ter visibilidade pode mudar o cenário do país?

Maconha e atualidade: como muitos países estão colocando a Cannabis de volta no mercado

Muitos anos se passaram fomentando o preconceito e a desinformação sobre a Cannabis e só nos últimos anos que a história da maconha começa a ser modificada. Países ao redor do mundo estão percebendo que a criminalização da Cannabis é um fator preconceituoso e discriminatório. 

Muitos países já liberaram a Cannabis para fins médicos, alguns para fins adultos. Poucos estão realmente sabendo aproveitar os benefícios da planta e já entraram no mercado canábico, que é avaliado na casa dos bilhões
Apesar da Cannabis ainda ser proibida no Brasil, é possível criar negócios canábicos lícitos e lucrativos. A Escola do Hempreendedorismo te ensina tudo o que precisa saber para entrar nesse mercado e aproveitar a crista da onda!

Deixar uma resposta