Hempreendedorismo: 7 modelos de negócios viáveis com cannabis no Brasil

Os desafios do empreendedorismo no Brasil são muitos. Mas há quem goste de ainda mais obstáculos e resolve investir no hempreendedorismo. Para quem não sabe, isso significa empreender no mercado de cannabis. 

E não é preciso trabalhar diretamente com a planta. Há diversas opções de modelos de negócios viáveis para trabalhar no Brasil. Saiba mais sobre os desafios do hempreendedorismo e confira 7 modelos de negócio para investir. 

Desafios do hempreendedorismo

O maior desafio do hempreendedorismo hoje é que para um negócio funcionar, muitas vezes depende de liminares da justiça, estando expostos à sanha burocrática governamental e ainda dependendo do estabelecimento de um marco regulatório definitivo por parte do legislativo, sem data prevista para acontecer.

Apesar de todo o potencial que existe em torno da planta que beneficia a natureza, contribui para o bem-estar e que pode salvar milhares de vidas ao redor do mundo, hempreender no Brasil ainda é um desafio. 

Até as regras das redes sociais e a proibição de anúncios são problemas que os empreendedores do mercado canábico enfrentam que outros negócios não precisam se preocupar. 

Para ajudar negócios e projetos, criamos a Escola de Hempreendedorismo. Através dela oferecemos o suporte necessário para transformá-los em empresas viáveis e lucrativas. Se você quer abrir um negócio canábico, não deixe de conferir o que temos a oferecer para você. Saiba mais e participe da primeira turma clicando aqui. 

mercado canábico

E se você não tem ideia do que pode fazer dentro do hempreendedorismo e como ter um negócio canábico lícito no Brasil, confira sete modelos de negócios possíveis. 

7 modelos de negócios viáveis com cannabis no Brasil

1. Head shops

As head shops são tabacarias especializadas no uso de cannabis e oferecem utensílios para utilizar em conjunto com a planta no momento do fumo. Entre os produtos mais comuns estão dichavadores, bongs, pipes, piteiras, sedas, filtros, cinzeiros e isqueiros. 

Mas uma head shop pode ir além e vender produtos de lifestyle canábico, como roupas, bolsas e acessórios. O perfil da loja varia muito de região para região, tendo opção para todos os gostos. Aqui na Kunk.Club temos nossa loja, confira aqui! 

usuário-livre-pride

2. Portais de conteúdo

Outro modelo de hempreendedorismo que está em alta são os portais de conteúdo com foco em cannabis. Esses sites, que tiveram um aumento de 10 vezes de 2010 a 2020, têm o objetivo de educar e passar adiante informações sobre o universo canábico, como o Sechat

Os portais são essenciais para desconstruir preconceitos, mostrar o potencial da cannabis em diversos âmbitos e proporcionar uma reflexão sobre um consumo mais consciente, mitigando possíveis danos. 

3. Grow shops

As grow shops são lojas voltadas para pessoas que querem fazer algum tipo de cultivo doméstico, seja de cannabis ou de outras plantas. Elas são especializadas em equipamentos de jardinagem para cultivo em ambiente interno, de forma doméstica. Um exemplo é a Organika. 

4. Instituições medicinais

Além das empresas que têm autorização para vender medicamentos derivados de cannabis no Brasil, há outras instituições focadas em oferecer tratamentos medicinais com a cannabis para pacientes que a necessitam, como o CBD Doctores. Como a regulamentação atual engloba o uso medicinal da planta, essas empresas possuem mais respaldo legal e facilidade de se adequar às normas do país. 

5. Startups

As startups são empresas enxutas e com suporte financeiro limitado e também fazem parte do hempreendedorismo. Startups do universo canábico podem ir desde aplicativos para auto cultivo até plataformas para unir médicos e pacientes que procuram tratamento com cannabis. A Adwa Cannabis é uma startup focada em biotecnologia. 

mulheres-mercado-canabico

6. Eventos

Os eventos canábicos buscam reunir especialistas, médicos, empreendedores, entusiastas da planta e pacientes para disseminar informações e trazer novas tendências do mercado. O evento mais importante do país foi o Cannabis Affair, que contou com a participação da ministra Carmen Lúcia, da ativista Preta Ferreira, do cantor BNegão, do neurocientista Sidarta Ribeiro, entre outros. O Expo Head Grow terá a sexta edição em junho. E você pode encontrar vários lugares cannabis friendly no Micasa 420

7. Empresas de dados

Por fim, é possível participar do hempreendedorismo através da coleta de dados. Principalmente em países como o Brasil, em que a regulamentação está atrasada, o proibicionismo impede que várias pesquisas e coletas de dados sejam feitas. Quem decide coletar, analisar e entregar informações de qualidade para a comunidade pode se destacar, como é o caso da Kaya Mind.
As oportunidades de hempreender são muitas. Se você quer entrar no mercado canábico, participe da Escola do Hempreendedorismo.

Deixar uma resposta