Cannabis e esporte: entenda como essa dupla combina

Falar sobre maconha nunca é fácil, você já deve saber disso.

A depender do ambiente, a abertura para o tema pode ser maior ou menor.

O assunto Cannabis e esporte vem ganhando certa relevância após a retirada do CBD da lista de substâncias proibidas no esporte pela Agência Mundial Antidopagem (Wada).

Isso porque já se sabe que a planta tem um grande potencial terapêutico para problemas comuns aos atletas!

No entanto, o conservadorismo continua presente em muitos espaços, o que pode ser evidenciado pela recente prisão da atleta Brittney Griner na Rússia, por portar um vape contendo haxixe.

Apesar de todo o tabu por trás dessa ideia, Cannabis e esporte combinam!

Debater o assunto pode fazer a diferença, não só para os atletas que buscam os efeitos medicinais da planta, mas também para toda a economia que pode ser movimentada por esse mercado.

Benefícios, Cannabis e esporte

A Cannabis medicinal é de interesse de muitos atletas!

Isso porque a maconha tem um grande potencial de recuperação de lesões, além de funcionar como analgésico, neuroprotetor e anti-inflamatório.

Mas não é só isso. 

Para os competidores que vivem sob estresse constante, ela pode auxiliar na melhora do sono, redução da ansiedade, aumento da imunidade e melhora da performance. 

Já falamos mais sobre como os canabinóides atuam no Sistema Endocanabinóide e os efeitos colaterais de CBD e THC aqui. 

Para além dos benefícios aos atletas, Cannabis e esporte podem formar uma combinação vantajosa  para a economia.

É o que diz o relatório da Kaya Mind, empresa especializada no mercado canábico no Brasil.

De acordo com o informativo, seria possível movimentar cerca de R$900 milhões a partir de medicamentos à base de maconha e outros derivados da planta, além da arrecadação de quase R$300 milhões em impostos.

A relação entre Cannabis e esporte pode ser muito relevante para todo o contexto sócio-econômico e político brasileiro, oferecendo vantagens para todos os setores.

Por que o DF possui o maior número de usuários de Cannabis medicinal do Brasil?

Formas de consumo

As formas de se consumir Cannabis com fins medicinais são diversas.

A maneira mais conhecida de uso da maconha é o fumo.

No entanto, para fins medicinais, ela não é a mais adequada, considerando que ela pode trazer consequências pulmonares, além de causar inflamação e redução da imunidade.

Com a finalidade terapêutica, a Cannabis é muito utilizada nas formas de:

  • Óleo: esse tipo de consumo costuma ser por via oral, apresentando rápida absorção e, consequentemente, efeitos instantâneos.
  • Chás: uma outra maneira muito eficaz de se obter os efeitos medicinais da maconha, podendo ser feito com as folhas e flores da planta.
  • Comestíveis: gummies, bolos e outros alimentos também podem oferecer finalidades terapêuticas, mas têm a sua absorção mais lenta, retardando o processo de metabolização e alterando a duração dos efeitos.
  • Tópico: cremes, óleos de massagem, pomadas e outras formas de uso tópico podem oferecer alívio de dores e recuperação de lesões mais localizadas.
  • Vaporização: outra alternativa de efeito imediato, a vaporização tem resultados parecidos com o fumo, mas evita a inalação de toxinas e fumaça.

Existem, ainda, outras alternativas de consumo da maconha. 

Porém, a relação entre Cannabis e esporte pode ter seus efeitos melhor aproveitados com os modos citados acima. 

Por dentro de uma plantação de maconha: caso Fundação Daya, no Chile

Atletas que usam

A cada dia que passa, mais atletas levantam a bandeira sobre o uso da maconha medicinal.

Michael Phelps, Usain Bolt, Bob Burnquist, Nilo Peçanha, Pedro Rizzo e diversas outras figuras de relevância no meio esportivo já afirmaram ter feito uso da planta com finalidades terapêuticas.

Além desses, outros esportistas falam abertamente sobre a relação entre Cannabis e esporte.

Um deles é o lutador de MMA, Nate Diaz.

O atleta disse usar vaporizadores e óleos CBD para tratar sua asma e dor nas articulações. 

Ele também acredita que a Cannabis pode ser um substituto seguro para os opiáceos utilizados por outros lutadores para aliviar a dor após as lutas.

Ross Rebagliati, snowboarder canadense, tornou-se um grande defensor da combinação entre Cannabis e esporte, chegando a fundar uma empresa com foco na comercialização de produtos à base de CBD para atletas e pessoas com dor crônica.

Como investir em Cannabis: mercado, dicas e tipos de ações

O uso medicinal da maconha pode fazer a diferença na vida e no bem-estar de muitos esportistas e este mercado tende a ganhar cada vez mais espaço no futuro.

Investir em negócios canábicos pode ser uma grande oportunidade para quem deseja empreender.
Seja um líder no mercado legal de maconha no Brasil, conheça a nossa Escola de Hempreendedorismo.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.