5 maneiras  de cultivar maconha e como escolher a sua

Quando falamos de auto cultivo, são muitas as dúvidas. Já falamos aqui no blog sobre os aspectos jurídicos do cultivo de cannabis, e agora vamos mostrar 5 maneiras de cultivar maconha. 

Quando a questão do cultivo no Brasil começou a melhorar, principalmente depois da liberação da marcha da maconha em 2011, a discussão sobre o auto cultivo ganhou força. 

Nessa época, a ideia era de que as únicas maneiras de cultivar maconha envolviam estufas, fertilizantes e produtos importados. Com a evolução do mercado, já temos 70% das opções de cultivo a partir de produtos nacionais. 

A ideia aqui é mostrar que maneiras de cultivar maconha de forma simples, com produtos nacionais e aproveitar ao máximo nosso solo e clima, que são ótimos para o cultivo de cannabis. 

Maneiras de cultivar maconha

1. Solo inerte com nutrientes minerais

Esses solos não possuem alimentação, eles vêm de perlita, fibra de coco ou turfa. Ou seja, eles não possuem nutrientes, são usados apenas para segurar a raiz da planta. A fertilização é feita através dos fertilizantes importados, como da General Hydroponics e da Remo Nutrients

Então, você vai seguir a tabela de fertilização indicada pela marca. Geralmente dura um ciclo de 8 a 12 semanas, em que toda a alimentação é feita com esses nutrientes externos feitos especificamente para a cannabis. 

2. Hidropônico

O cultivo hidropônico utiliza a água como um meio para o desenvolvimento das raízes. É um dos sistemas de cultivo de maconha mais complexos, já que é necessário acompanhar de perto a composição da água, aplicando os nutrientes necessários em sua medida adequada. 

O bônus desse tipo de cultivo é que a qualidade da colheita é maior e, se tudo for feito corretamente, a concentração de resina também, o que significa mais CBD e THC. O ônus é que requer um maior investimento econômico e conhecimento mais específico. 

3. Solo inerte com nutrientes orgânicos 

Essa maneira de cultivar maconha é muito parecida com a primeira, de solo inerte com nutrientes minerais. A diferença é que a alimentação usada é orgânica. 

Os nutrientes mais comuns são o Yes We Grow e FlowerMind, que podem nutrir a planta de cannabis através de nutrientes externos orgânicos. Esse método é muito utilizado no país e é a forma mais fácil de cultivar hoje. 

Mercado canábico medicinal

4. Solo orgânico

Nessa forma de cultivar maconha, é produzido um solo orgânico, um composto com vários tipos de substâncias, que cria a própria biodiversidade do solo. Eles já vêm prontos para usar e contém substratos vegetais, turfas, fibras, estercos fermentados, substâncias humínicas, vitaminas, aminoácidos, micorizas, carbono, perlita expandida e vermiculita, entre outros compostos. 

Eles são criados para gerar o máximo de rendimento e o mínimo de manutenção, já que o solo orgânico é alimentado pela própria vida que ele produz. Uma marca brasileira que está fazendo um solo orgânico muito bom é a Tropikali

Assim, só é necessário controlar a água, o que torna essa uma das maneiras de cultivar maconha mais baratas que existem. Tanto o solo orgânico, quanto os nutrientes minerais e orgânicos, assim como estufas e outros equipamentos necessários para o seu cultivo podem ser encontrados na internet ou em growshops, lojas especializadas em materiais de jardinagem e agricultura voltados para cultivar maconha. 

mitos-cultivo-de-cannabis

5. Outdoor

Todas as formas acima podem ser feitas indoor, dentro de growers ou estufas, ou outdoor, em área aberta. O solo inerte com nutrientes minerais, com nutrientes orgânicos e o método hidropônico são mais comuns em ambientes indoor. 

Quando vamos cultivar outdoor, o mais comum é usar o solo orgânico. Essa escolha vai depender do espaço e do ambiente em que você vai fazer o seu cultivo. 
Essas foram as 5 maneiras de cultivar maconha mais comuns. Quer saber mais sobre esse assunto? Confere os vídeos no nosso canal do YouTube.

Deixar uma resposta